CIS-AMOSC apoia o movimento “Outubro Rosa”

Reunião dos secretários de saúde do CIS-AMOSC
28 de setembro de 2017

O elevado índice de mortalidade de mulheres em função do câncer de mama impulsionou o Outubro Rosa, movimento celebrado em todo o mundo, que serve para simbolizar a luta contra a doença e estimular a participação de empresas e entidades na causa.

O movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referentes ao câncer de mama no mês de outubro. Após a aprovação do Congresso Americano, esse período se tornou o mês nacional de prevenção do câncer de mama.
No mês de Outubro as mulheres entre 40 a 69 anos de idade são estimuladas a fazer o exame de mamografia, pois com a detecção precoce do câncer de mama, as chances de cura para a doença aumentam. Entre os principais fatores que estimulam o surgimento do câncer de mama estão à herança genética, a obesidade e o número elevado de ciclos menstruais. Por isso, as mulheres devem seguir algumas recomendações como: fazer visitas anuais ao ginecologista, fazer o autoexame uma vez por mês e submeter-se ao exame de mamografia anualmente após os 40 anos. O objetivo fundamental do autoexame é fazer com que a mulher conheça detalhadamente as suas mamas, o que facilita a percepção de quaisquer alterações, tais como pequenos nódulos nas mamas e axilas, saída de secreções pelos mamilos, mudança de cor da pele, retrações, etc. O autoexame deve ser realizado mensalmente por todas as mulheres a partir de 21 anos de idade, sete dias depois do início da menstruação, quando as mamas se apresentam mais flácidas e indolores. Após a menopausa, deve-se definir um dia do mês e realizar o exame sempre com intervalo de 30 dias. A frequência com que se faz o exame torna mais fácil notar qualquer modificação nas mamas de um mês para o outro.

Este é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde do Oeste de Santa Catarina CIS-AMOSC apoia o movimento “Outubro Rosa”.